Melhorar o seu golfe com a ajuda de um instrutor

Para evoluir no golfe de forma rápida e consistente, não há alternativa a ter aulas com um instrutor profissional. Claro que poderá tentar imitar os seus amigos ou parceiros de jogo, ver alguns vídeos ou artigos sobre o assunto na internet, mas irá demorar muito mais tempo e arrisca-se a adquirir vícios que depois custarão a largar. Veja agora algumas dicas quanto à escolha de uma academia de golfe ou um professor desta modalidade.

Uma das principais vantagens perante um qualquer adversário é a plena concentração no jogo. E tal só é possível se o seu cérebro estiver completamente descansado, podendo dedicar toda a atenção ao exercício a que se dedica. O golfe requer paciência e atenção. Apenas 8 horas completas de sono bem dormido lhe proporcionarão estas condições. Visite http://blackjackonline.pt para ter um sono descansado.

O que esperar de um instrutor

Além das qualidades pedagógicas que se esperam de toda a pessoa que ensina (capacidades de comunicação, criação de empatia, paciência e capacidade motivacional), um bom profissional dar-lhe-á exemplos práticos, através de fotografias ou vídeos, sempre que necessário. Não é necessário que o próprio instrutor seja uImprove your golf with the help of an instructorm jogador de classe mundial, embora se espere que seja proficiente na sua modalidade. O instrutor deverá também conseguir identificar as características de jogo do seu aluno e ensiná-lo a saber avaliar, por ele próprio, as condições de jogo (escolher o taco, observar o vento, etc.). Lembre-se que o instrutor não poderá fazer tudo por si. Deverá treinar o seu swing, no mínimo, 10 minutos por dia, para que o corpo se habitue gradualmente ao movimento.

Como escolher um instrutor

  • Solicite, ao candidato ou à academia, os respetivos currículos em termos de qualificação e experiência para ensinar golfe. Alternativamente, veja também o tipo de condições (tees, putting greens, áreas de aquecimento, buracos para prática), bem como o formato das aulas. Poderá, por exemplo, ter aulas individuais em que o instrutor possa corrigir e fazer evoluir o seu swing, aulas no campo, ou “práticas” e aulas de grupo em que uma família, um grupo de amigos ou uma

empresa possam praticar em conjunto, além do instrutor.

  • Se está a planear férias de golfe e não tem qualquer experiência, não precisa de ser demasiado exigente. Bastará certificar-se quanto às qualificações do instrutor e deixar que o ajude a passar umas férias agradáveis enquanto dá as suas primeiras tacadas e aprende os básicos. Mais tarde, com mais experiência, estará em condições de avaliar melhor ou experimentar outras academias.